E no fim…

E no fim…

Uma campanha morna a nível nacional e uma campanha mais morna ainda a nível distrital, o país, bem, não parou e nem tinha que parar. 41 anos após “abril” o povo percebeu, finalmente, que o mundo não pára só porque há eleições. Talvez para alguns, dependentes da dita, isso corresponda a uma (a)normalidade…

images-1A nível nacional a grande surpresa, para mim, foi a “perfomance”  da camarada Catarina Martins, que numa autêntica “lavagem a jacto” terá conseguido evitar a “UDPsização” do Bloco ou mesmo o seu óbito.  Afastou-se dos amigos gregos e procurou atingir novos públicos, tentando recuperar a sua vocação de partido de protesto. No campeonato dos “pequenos” uma palavra sobre essa criatura surreal, criação de Goucha & maxresdefaultCª. nas manhãs televisivas de uma qualquer televisão de pacotilha, Marinho e Pinto, a personificação em pessoa do político habilidoso ao melhor estilo de faz o que eu digo, não faças o que eu faço, que espero bem tenha sido definitivamente “irradiado” por indecente e má figura… 

UnknownJá António Costa, apesar das constantes elevações ao nível dos ombros dos seus camaradas , não seguiu ao “colinho” e manteve-se num registo “português suave”  e se é verdade que as eleições não se ganham, apenas se perdem, a dupla Pedro & Paulo, cumpriu com distinção e não vai perder, com uma campanha serena e983118
objectiva, demonstraram, em complementariedade, que sabiam ao que vinham e que para isso se prepararam, sem amadorismos nem cenas dignas de uma “novela venezuelana” de 5ª categoria… dos cartazes à mãe chorosa do filho emigrante na china, a Costa tudo aconteceu e é “seguro “ que o Tó-Zé deverá estar a sorrir…

Cá pelo distrito, onde os pequenos não contam, um PS de província, apesar de uma cosmopolita e 11987212_893595120695988_7934077330881729388_nsimpática “cabeça-de-lista” e de um esforçado e urbano João Paulo Rebelo, foi presa fácil para uma coligação assente na dupla Alves/Amaral que levaram ao 12038136_1477502415890817_3787732290023060292_n“colinho” um Leitão Amaro, que inteligentemente usou a capacidade organizativa de Pedro Alves e a empatia e generosidade/disponibilidade de Hélder Amaral para calmamente “passear” e “assobiar”  pelo cavaquistão de mão-na-mão…

Resumindo e concluído, ganha quem sabe, perde quem não quer saber…

(artigo de opinião, publicado no”Jornal do Centro de 2/10/2015)

 

Anúncios

Voltámos… onde se fala dos tempos de vésperas, pára-quedistas e outros…

Estamos de volta e com “novas roupas”, estivemos “fora” mais tempo que aquele que pensávamos, mas voltámos quando nos deu vontade, com a mesma naturalidade e liberdade com que fizemos uma pausa. Vivemos este período sempre em tempo de vésperas do dia de hoje.

Adiante, pois o que passou passou, o “glorioso” foi campeão, o Desportivo de Tondela subiu à 1ª e o meu Académico não, Sócrates continua em “retiro”, António Costa ainda sonha com o que o país  não quer nem precisa, Pedro e Paulo “juntaram-se” num noivado por Portugal, dizem eles, Almeida Henriques, a regressar de banhos, teve férias descansadas dado que a oposição continua de “baixa” em tempo de vésperas de feirar, Sara Carbonero foi vista a passear junto ao Castelo do Queijo enquanto BdC festejava na churrasqueira do Campo Grande com os seus 3 mosqueteiros, talvez a eleição do ex-colega Pedro para a presidência da Liga de clubes…  e os “syrizitas”, tal como os “amigos de Charlie” já assobiam para o lado enquanto Salgado já nem à missa pode ir…

Maria Manuel Leitão

Maria Manuel Leitão

Entretanto PS e a coligação PSD/CDS apresentaram as respectivas listas de candidatos a deputados, sendo

Leitão Amaro

Leitão Amaro

característica de ambas, para além do facto serem “lideradas” por dois “Leitões”, de nome, a renovação efectuada. Ambas repetem 3 nomes, se no PS se podem considerar todos de segunda linha, já na coligação não. Pelo CDS repetem Hélder Amaral  e Marina Valle e pelo PSD o incontornável Pedro Alves, promovido a nº2…

Outra característica comum é o surgimento dos denominados “pára-quedistas” ou “sem terra”. Se no PS surge logo no 1º lugar, já na coligação surge na 3ª posição uma jovem professora lisboeta, neste caso uma clara derrota da Distrital laranja…

Note-se, pela positiva ou não, o curriculum de ambas… pára-quedistas mas de elevada qualidade.

Fiquemos, para já, por aqui…

“Silly” ou não, é a “season” cá da malta…

Eis que chegamos a Setembro, suposto final de férias, “dead end” da denominada “silly season” politiqueira, a qual já foi bem mais interessante do que nos dias que correm…

Mantendo o registo, estamos então, em fase de “rentrée”, mas só para alguns, pois outros houve que não saíram de cena, ou não estivessemos em época de Feira de S. Mateus e a malta, mesmo dizendo que não, o que gosta mesmo é de “feirar”…

10488181_10204321341015219_2701961594739855324_n-1E feirar é o que tem feito António Almeida Henriques, edil de Viseu cidade região e com aspirações a líder regional. É que apesar das férias, a malta da “propaganda” não se cansa e vai que é um corropio… Ele é Volta a Portugal, ele é festa das Vindimas, Gabinetes do Agricultor e ciclistas outra vez, pelo meio ainda deu para ir ver o Académico ao Fontelo,10645304_1532237556994530_1137400549251394536_n lançar a requalificação do Largo do Arraial na “independente” Abraveses e para dar uma “mão” na Feira de S. Mateus ao som das concertinas do grande Canário… Aliás, a Jorge Sobrado, também conhecido como o “Biriato” dos tempos modernos, só lhe falta cantar à desgarrada, sendo que “desafiantes” não faltam nem vão faltar…

Animado e “quente” vai o verão socialista, mergulhados numa autêntica “jihad” pelo poder onde vale quase tudo, também a nível local, as eleições para a Federação Distrital estão ao rubro. Acácio Pinto e António Borges vão votos este fim-de-semana num clima 10538569_288975371281699_5139794759397608584_nde grande crispação interna, mas com as quotas em dia e concelhias renascidas. António Borges, a fazer fé na “cacique-ó-sondagem” que a sua candidatura fez nos últimos dias, é apontado como provável vencedor. Habituado a ganhar, Borges, o candidato do sistema, 10687089_678000338961615_1100672476958641454_napoiante e apoiado por Seguro, colocou no terreno toda a sua sapiência em matéria de campanhas e eleições surpreendendo um Acácio Pinto que ainda acredita que são as ideias que ganham eleições.

Calmo e temperado foi o verão laranja, com a questão distrital arrumada com a291762_2222711610675_1595365208_n manutenção, conveniente, de Mota Faria na liderança da distrital, talvez como prémio pelos resultados eleitorais alcançados, cabe a Pedro Alves dar as cartas. Aquele que já apelidaram de “mourinho” das beiras vai dando o “jogo” conforme pode e deixam, resta saber até quando…

HACom a concelhia local, essa sim, literalmente de férias, eleita faz hoje precisamente 2 meses, à espera de “posse” mas com vontade de “feirar” em grande já no próximo dia 12, o CDS, cuja distrital irá brevemente, ou não, a votos, teve um verão aparentemente calmo e sereno, com Hélder Amaral a procurar “arrumar” a casa. Apesar de algumas movimentações é provável que não tenha oposição…

A grande novidade deste verão na política local é a saída do PCP da sua histórica sede em Viseu, porque até já os avisos “vou voltar” de Fernando Ruas se tornaram banais e recorrentes, perdendo assim toda a graça.

Assim sendo, parece-me que “rentrée”não se justifica, que continue a…