A marca de…

12801675_595768277247062_1525229171050842828_nAnunciada em Fevereiro de 2014 e constituída por escritura pública nos últimos dias de
2015, foi, finalmente, na pretérita sexta-feira, apresentada formalmente a associação “VISEU MARCA”, nas palavras de Almeida Henriques, Presidente do Município de Viseu, um novo instrumento de marketing territorial de promoção da marca Viseu e da cidade – região. A esta associação, constituída pelo Município Viseense e pela AIRV, competirá, também, substituir a extinta Expovis e em consequência organizar a secular Feira de S. Mateus. Espera-se que não só…

Numa sessão de apresentação muito concorrida, que entre algumas novidades e 10367192_1719053544979596_1990370238904985_ncuriosidades, juntou no mesmo “palco” o triunvirato Almeida Henriques, Carlos Marta e João Cotta, este último (quem mais?) investido na qualidade de Presidente da novel associação e que num discurso rico em citações deixou já em “cima” do futuro director-executivo da VISEU MARCA, na forma de incentivo(??), a responsabilidade pelo que da organização da Feira de S. Mateus advir…

Ora ciente da enorme responsabilidade que constitui o sucesso desta VISEU MARCA, António Almeida Henriques não vacilou e escolheu para director-executivo da dita um dos seus melhores “activos”, o omnipresente Jorge Sobrado, seu Adjunto no Município e pedra basilar, em conjunto com Nuno Nascimento, Chefe-de-Gabinete da Presidência, da gestão de Almeida Henriques no município viseense. A tarefa, não sendo fácil, mas, também, não sendo impossível, requer cuidados redobrados e uma capacidade de decisão e execução muito precisas, ou não fossem esta VISEU MARCA e a “nova” Feira de S. Mateus duas das mais visíveis “obras” deste mandato autárquico, fruto também, mas não só, das expectativas que o actual executivo tem vindo a criar em torno da recriação da Feira de S. Mateus e da promoção da cidade-região Viseu, a melhor cidade para viver…

Jorge Sobrado, por certo não deixará os seus créditos em mãos alheias, o expedito responsável pela estratégia de comunicação do município, mas não só, assume-se cada vez mais como o seguro de vida de António Almeida Henriques, do seu sucesso e da sua equipa, resultará em muito o sucesso deste primeiro mandato de António, que a ano e meio da provável reeleição, ajudada, também mas não só, pela inexistência de oposição eficaz e pela “marca” de Sobrado, muito provavelmente andará já, para além de cumprir com muito do prometido, preocupado na busca de soluções para alguns erros de casting cometidos em 2013 na escolha dos seus “companheiros de luta”, ou talvez não…

(artigo de opinião publicado na edição do Jornal do Centro de 27/02/2016)

Porque foste nessa João?????

UnknownUnknown-1O previsível aconteceu, João Cotta perdeu a eleição para a Presidência da Assembleia Intermunicipal  Viseu Dão Lafões. Acácio Pinto, do Partido Socialista, é o Presidente eleito com 26 votos contra 24. Ironicamente, ou talvez não, José Manuel Rodrigues, do CDS, é Vice-Presidente…

Atente-se ao colégio eleitoral, 24 representantes do PSD, 22 do PS e 4do CDS…

Atente-se na estratégia(?) que o PSD adoptou na eleição dos deputados

Duas notas, apenas:

  • Foto_João Cotta2A primeira, para João Cotta. “Aceitou” este presente envenenado do PSD de Faria & Cª. convencido do quê? Jogou o seu prestígio nesta eleição e perdeu. João Cotta não precisava disto…
  • A segunda para o CDS. Em política, o que é é… O CDS aguentou a estocada do PSD e no momento certo, no momento em que podia fazer a diferença fez

Parafraseando uma personagem carismática do mundo do pontapé na bola:

“PROGNÓSTICOS? SÓ NO FINAL DO JOGO…” 

 

Ah pois é… e agora? Ainda a CIM…

Nunca se falou tanto da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões(CIM) como agora. A luta pelo poder, leia-se, pela gestão dos fundos comunitários, está ao rubro e já não é Foto_João Cotta2só para o Conselho Executivo, onde PS e PSD esgrimem argumentos técnico-legais, e as lojas medem forças… Agora é também a eleição da Mesa da respectiva Assembleia que ganha ânimo com a candidatura do sempre disponível João Cotta, que dispensa apresentações dada a sua envolvência com tudo o que é presidência…

Com caderno eleitoral constituidos por 24 representantes do PSD, 22 do PS e 4 do CDS fácil será adivinhar que aí vem baderna da grossa…

E eis que o que se passou nas eleições dos representantes de cada concelho ganha uma inusitada importância. Como já se viu da crueza dos números e da certeza matemática, quem quer que queira ser o Presidente tem que contar com os 4, são poucos é certo, votos do CDS…

E agora CDS? Como vai ser?

Será que ainda vamos ver o Coronel Figueiredo candidato?

Responda quem se sentir habilitado…

Responda quem se sentir habilitado…