Avante Cunha!!!!!!

images-2Este texto foi escrito por Carlos Cunha, deputado municipal do CDS e putativo líder do grupo parlamentar em face da anunciada renúncia do nº 1 da lista para a Assembleia Municipal apresentada a sufrágio em Setembro de 2013. Cunha foi, ainda, candidato à liderança da concelhia de Viseu do CDS nas eleições de 5 de Julho de 2014, onde foi derrotado por um voto (32-33), sendo depois, contra todos os prognósticos, repescado  por Hélder Amaral para a Comissão Política Distrital nas eleições de 11 de Outubro.

Ora não deixa de ser curioso que seja Carlos Cunha o autor deste artigo, não que incorra em falta grave ao fazê-lo, faz e faz muito bem. No entanto, sem embargo da iniciativa, a mesma conduz a uma pergunta simples e de resposta simples, ou não…

206 dias depois de eleita e 101(??) após tomar posse, onde anda a concelhia de Viseu do CDS?

 

Anúncios

FFF…

Facto politicamente relevante da última semana, mais do que as “intervenções” do 994766_605631506128546_1931172930_nVereador Municipal de Viseu, eleito pelo CDS, foi a renúncia(ver fim) ao mandato de deputado municipal por parte de Fernando Figueiredo(ff).

Diga-se, em abono da verdade, que não era situação que estivesse fora das expectativas, depois do que se passou no últimas eleições internas do CDS, onde FF foi “ultrapassado ” por Hélder Amaral e da última intervenção daquele na última reunião plenária da Assembleia Municipal.

O Coronel invoca razões de índole profissional e pessoal para abdicar do cargo para o qual foi eleito., acresce que não tem vocação para estar no “eucaliptal”…

Sabíamos que a sua saída constituiria um rude golpe no CDS, afinal Fernando Figueiredo foi o “motor” do partido no último ano, o que não estávamos à espera é que a sua falta se fizesse notar de forma tão rápida quanto notória, basta atentar neste artigo de opinião de Carlos Cunha e no último comunicado da Comissão Política Concelhia local para ver que Fernando Faz Falta… ou não?

Captura de ecrã 2014-11-18, às 00.44.51

No CDS é festa com todos… ou quase todos…

images-1Sem surpresa e como já anteviam os próprios, foi eleita a nova Comissão Política Distrital de Viseu do CDS. Parabéns aos eleitos, mormente ao re-eleito Presidente José Hélder do Amaral.

Sobre estas eleições pouco ou nada há para dizer. Mais apregoada, em antecipação, que as ditas eleições, foi a posse de mesma já no próximo dia 18, em conjunto com as concelhiasimages  recentemente eleitas e nas quais se inclui da Viseu, que aliás, diga-se em abono da verdade e porque é afirmado pelo própria estrutura, passou os últimos 3 meses, desde que eleita em 5 de Julho passado, a preparar esta grande festa que será abrilhantada com a presença do Presidente do Partido Dr. Paulo Portas.

images-2Em relação aos novos eleitos, surpresa só mesmo a inclusão de Carlos Cunha, candidato derrotado nas últimas e muito disputadas eleições para a concelhia de Viseu, que passa de “inimigo” a acólito… De resto, todos ao barulho, numa espécie de albergue espanhol, que em 2015 há eleições legislativas…

Quem, presumo, não terá gostado muito deste processo, da forma como foi conduzido e do que dele resulta, terá sido o actual(???) líder da bancada parlamentar do CDS na Assembleia Municipal de Viseu, Coronel Fernando Figueiredo(FF). Hélder 999997_629780207047009_2056605853_n-1Amaral, ao que julgo saber, não passou cartão aquele que foi seu companheiro de luta nas últimas autárquicas e fiel escudeiro nas “lutas” em torno das eleições de Julho para a Concelhia local.

A FF, ausente em Timor por questões profissionais, também já devem ter chegado ecos do que se passou na última Assembleia Municipal de Viseu, onde o CDS e 421834_605632426128454_1298566268_nnomeadamente FF, foram fortemente visados criticamente pelo Presidente do Município sem que existisse uma qualquer “bazookada” de resposta por parte de quem quer que fosse do CDS, nem “na hora” por parte dos restantes deputados municipais, nem à posteriori por parte do Vereador presente na reunião, o “substituto” Vítor Duarte, ou da concelhia eleita, se bem que esta última se encontrava “impedida” de o fazer pois ainda não tomou posse…

É de crer que “bazookas” tenha começado a “limpar as botas”… para ir à festa do dia 18…

Resta desejar aos eleitos votos de bom trabalho, o distrito e o país precisam de um CDS forte, presente, participativo e responsável.

Que assim seja.

O antes, o 5 e o depois…

Antes de irmos à análise dos resultados e da campanha das eleições para a concelhia de Viseu, uma palavra para os candidatos, ambos dignificaram o partido e o acto em si, estão ambos de parabéns, bem como as suas equipas. A ambos cabe agora a responsabilidade de trilhar o caminho do CDS.

10444656_804252719599756_1222291418050302760_nEstas eleições, muito esperadas e que pecaram por tardias, trazem à evidência um CDS motivado, renovado e com alternativas credíveis ao nível local. Os resultados assim o mostram, Joana Couto Sousa é a nova Presidente da Comissão Política Concelhia, venceu por 1 voto… Carlos Cunha, não ganhou por 2 votos, mas registe-se, as sua listas candidatas aos restantes órgãos venceram, Jorge Azevedo foi eleito Presidente da Mesa do Plenário Concelhio, onde tinha como opositor Francisco Mendes da Silva e a Lista patrocinada por Carlos Cunha elegeu mais delegados à Assembleia Distrital.

Uma vitória é sempre uma vitória, Joana Couto Sousa venceu, mas aqueles que pensavam que Carlos Cunha “não existia” ou que estaria condenado a bater em retirada, esses perderam… os resultados assim o demonstram e mostram à saciedade que Cunha é incontornável no CDS de hoje e amanhã.

Resultado “renhido” e dividido, estas eleições pecaram pela ausência de debate de ideias e pela tentativa de condicionamento das mesmas a uma questão fulanizada num “gosta, não gosta”. Estratégia errada…

Joana herda um partido pujante, com vida, unido no essencial mas a precisar de cuidados vários e urgentes no que pode parecer acessório mas não é. Joana ganhou as eleições, agora tem que ganhar o partido. Unindo e fazendo pontes, dinamizando o triângulo concelhia-vereador-assembleia municipal, abrindo o partido à sociedade, centrando o debate no futuro e fazendo do CDS a casa de todos aqueles que acreditam que é possível e indubitavelmente preciso fazer mais, fazer melhor, mas sobretudo fazer diferente.

Com um PS  local adormecido e mergulhado nas lutas internas de poder, um PSD “abafado” pela gestão fortemente personalizada de Almeida Henriques e onde os outros vão fazendo o que podem, a este CDS cabe afirmar-se como uma voz crítica mas responsável, cabe afirmar-se pela capacidade construtiva de diálogos, cabe afirmar-se como a voz dos que querem e acreditam que é possível fazer melhor.

 

 

Finalmente a 5 de Julho…

Finalmente o CDS local vai a votos, apesar de alguns e contra outros tantos, apresentam-se 2 listas a sufrágio, o que é de saudar e demonstra a vitalidade interna do partido e é garante da pluralidade de ideias e de pessoas.

joana_coutoJoana Couto de Sousa e Carlos Cunha são os candidatos, cada um com a sua equipa e Carlos-Cunha1com as suas ideias, mas ambos imbuídos do mesmo espírito e da mesma vontade, recuperar o CDS, unindo e crescendo. Ambos, tenho para mim, são garantes da elevação do debate, que se quer e é preciso, ambos personificam um mesmo desejo, uma mesma vontade, ambos serão, com toda a certeza, dignos do resultado de 5 de Julho.

Como sempre afirmei, estive, estou e estarei de fora deste “combate”. Ao contrário do que alguns apregoavam e outros tantos julgavam, não sou “apoiante” de qualquer das listas, muito menos candidato ao que quer que seja, hoje  ou amanhã…

Dia 5 de Julho cumprirei o meu dever de militante exercendo o meu direito de voto, completamente livre e completamente solto…

Aos candidatos desejo uma boa “campanha”, que ganhe o melhor, sendo certo  que o CDS JÁ GANHOU!

1976932_737195492972146_55870159_n

Valeu a pena, o CDS reagiu…

logo_cds_azulAfinal o CDS Viseu existe e mexe, ou pelo menos reage. Depois de um pequeno e singelo alerta aqui em Tempo de Vésperas, eis que foi publicado o “anúncio” da candidatura de Carlos Cunha, acompanhado de um esclarecimento não assinado e que tece algumas considerações que até seriam pertinentes, mas na falta de “paternidade”…

Esperemos que agora as “coisas” normalizem e em breve se realizem as anunciadas eleições para a concelhia local.

Um forte incentivo à Joana Couto de Sousa e ao Carlos Cunha, o CDS fica mais rico com a pluralidade e o debate de ideias. Estou certo que estarão à altura do acontecimento, sabendo, ambos, manter a elevação e postura democrática apanágio do partido de Adelino Amaro da Costa.