Das marés vivas às vivas marés que se aproximam do laranjal cá do burgo….

Embalado pelas Marés Vivas de Gaia, nomeadamente pela música dos mitícos Garbage e pela actuação do sempre estonteante vocalista da banda inglesa Kaiser Chiefs e já a preparar para ajudar a apagar as velas do 14º aniversário do NB Viseu, deixando aqui no Nuno Gil e no Carlos Olavo um forte abraço a todo grupo NB, dou por mim sentado no Parque da Cidade, onde decorre a, espera-se, não efémera Feira do artesanato e, acrescentada, da gastronomia, a folhear as páginas do Jornal do Centro desta semana(versão papel que a on-line se foi…) e a ler um entrevista de António Almeida Henriques(AH) num misto de Secretário de Estado, viseense e militante laranja.

Da leitura da mesma e passando a interessante narrativa da obra governativa de AH, chegamos à trilogia Viseu-candidatura-Ruas. Fica claro que AH quer e só não será candidato ao Rossio se o PPD local não quiser ou/e se Fernando Ruas  não simpatizar com a ideia. Para já, AH posiciona-se como o candidato natural, que não o do regime.
Convém, aqui, fazer um pequeno exercício laranjo-mecânico, o que nem sempre é fácil, sobre os putativos candidatos a candidatos laranja nas próximas autárquicas no concelho de Viseu.

Temos o já anunciado José Costa, que vindo de lá do Vouga partiu mais cedo e lá vai remando mesmo sem pagaia mas sempre com olho no sebastianismo e que daí não passará.
Os “envelopados” Américo Nunes e Mota Faria, ambos disponíveis para um sacrifício em nome de Fernando, ao melhor estilo dos inanarráveis Putin e Medvdev, acrescente-se que o primeiro é já o Presidente de facto e que o segundo procura o seu momento de encantamento para o qual tem trabalhado árduamente. Parece-me que nem Guilherme Almeida, o sempre presente vereador e Presidente da Secção local do PPD, também ele na expectiva de ter de ser por falta de comparência de outros, nem João Azevedo, líder distrital do PS, estão para aí virados e ambos pelo mesmo motivo, o sério risco do PS ganhar a autarquia, o que nem um, nem outro querem, se bem que por motivos bem diferentes claro está…

AH que não quer estar no envelope mas no qual que se arrisca a estar, não aceitará a jugular tutela que Ruas tenderá a querer ter no futuro e disso é sintomática  a sua resposta à ultima pergunta da entrevista, cuja melhor foto não foi publicada mas consta do mundo facebookiano e aqui se reproduz. Sendo que tem ainda a incerteza de como acabará a sua passagem pelo governo.

Há quem suspire por Fernando Seara, mas o mesmo suspira pela capital e nesta, Judite vai torcendo o nariz a tanta visita ás berças…

Existem mais uns quantos que poderão ter a tentação de surgir no meio do nevoeiro se a (in)visibilidade  assim o permitir, a correr já em pista própria o diligente e ambicioso João Cotta, presidente da AIRV em último mandato. A fugir de que dele se lembrem está José Cesário, que ir a votos na terrinha é chato…
Quem leu até aqui estará a perguntar:
” E Carlos Marta?”
Bem, não me parece que Carlos Marta queira ser candidato a Viseu com e por este PSD…

One response to “Das marés vivas às vivas marés que se aproximam do laranjal cá do burgo….

  1. Pingback: Cotta ou cota??? Eis a questão… | tempo de vésperas

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s